Home Afinal, o que é arrocha?

Afinal, o que é arrocha?

Você sabe diferenciar forró, axé, samba e pagode? Em um país gigante e rico culturalmente como o Brasil, acompanhar os ritmos que surgem em todas as regiões pode ser um desafio. Se você respondeu positivamente à pergunta acima, parabéns! E o que é arrocha, você sabe dizer? Onde surgiu e como se espalhou por diversos estados?

Se você gosta de dançar agarradinho, deixar as mazelas da vida de lado e ouvir lamúrias amorosas em um compasso animado, você já é fã desse ritmo contagiante e a gente lhe conta mais um pouquinho sobre ele. Vamos descortinar o que é o arrocha?

A origem do arrocha

Com influência do forró e das músicas de seresta, o arrocha é um ritmo musical originário da Bahia, mais especificamente da cidade de Candeias, a 54 km de Salvador. Cidade natal do seu fundador declarado, Apolinário dos Santos Filho, conhecido artisticamente como Pablo. Aposto que você já ouviu este refrão: “Estou indo embora agora. Por favor, não implora. Porque homem não chora”. Não? Pois deveria.

Em meados do ano 2000, o arrocha surgiu como uma reinvenção das baladas românticas tocadas nas serestas nordestinas a partir da inclusão dos arranjos do teclado, os arpejos da guitarra mais o saxofone. A incorporação desses instrumentos tornou o gênero mais dançante, isto é, um bolero acelerado que logo contagiou milhares de seguidores.

Já o termo é oriundo do latim, vindo da palavra “cingere”, que significa “espremer”. Lembra do “arrocho salarial” nas aulas histórias? É por aí mesmo. Se lá era para congelar os salários, aqui a expressão se refere à maneira como o casal dança se apertando e segurando de maneira bem comprimida.

O diferencial do arrocha

Conhecido pelas canções chamadas de “dor de cotovelo” e, posteriormente, repaginado com o termo “sofrência”, o arrocha também tem fortíssima influência das músicas bregas e românticas. Ou seja, os “verdadeiros” precursores do ritmo foram Waldick Soriano, Reginaldo Rossi, Odair José e Lindomar Castilho, entre outros.

A influência da música brega, portanto, é o principal destaque do arrocha entre os outros gêneros, uma vez que o ritmo fala das dores do amor e ponto. Uma das canções mais disseminadas no início dos anos 2000, “Morango do Nordeste” é um exemplo do seu poder de empatia. Gravada em diversas versões como forró, pagode, sertanejo e axé, a sua repercussão começou com Lairton e seus teclados em ritmo de arrocha.

O motivo do sucesso do arrocha

As rimas “amor” com “dor” e “paixão” com “coração” são as favoritas dos compositores do arrocha, ou seja, letras simples e um refrão repetitivo são a base do ritmo e, por isso, fazem multidões cantarem os hinos de amor aos quatro ventos. Uma vez que todo mundo já sofreu uma desilusão amorosa, a identificação é instantânea, tanto que o sertanejo universitário veio na mesma onda.

Se perguntar aos moradores do nordeste o que é o arrocha, eles declaram que a música “dor de cotovelo” com ritmo dançante está incorporada na cultura baiana e de todo o norte do país. Caso você curta o pagode e o sertanejo tocados no sudeste e sul, já está a um passo de se encantar pelo ritmo do arrocha predominante no norte e nordeste.

Você planeja uma viagem para o nordeste? Não deixe de ir aos shows e rodas nos centros das cidades e interiores e saber o que é arrocha, forró, samba, axé, xote e todos as variações dos arranjos locais. Fica a dica para ouvir as vozes de Tayrone Cigano, Nara Costa, Silvanno Salles e, claro, Pablo.

Não se esqueça de conferir também os mais relevantes intérpretes do forró e todas as outras modas nordestinas no nosso blog.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *